As tendências de consumo em 2018

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Relatório revela tendências que marcarão os hábitos do consumidor para este ano. Conheça-as e prepare sua empresa para alcançar resultados ainda melhores em 2018.

Autor: Comunicação New Way

O Euromonitor International divulgou recentemente um relatório global com as 10 principais tendências de consumo para 2018.

Com uma visão otimista sobre a retomada no fortalecimento, em termos globais, da economia, o relatório aponta que o consumo no mundo deverá atingir patamares mais robustos do que os experimentados nos últimos 5 anos.

Outros pontos determinantes que irão influenciar os hábitos do consumidor em 2018 são o amplo acesso à tecnologia mobile e à internet, que vão continuar fazendo as empresas reverem constantemente seus modelos de negócio e do relacionamento construído com cada cliente.

Vamos às principais tendências de consumo em 2018:

Vida limpa (“menos é mais”)

Uma característica importante entre os hábitos do consumidor em 2018 é a tendência a uma vida mais clean e minimalista, em que se pensa o consumo de forma responsável. Essa tendência será mais fortemente notada entre os consumidores de 20 a 29 anos de idade, graduados e pós-graduados, que possuem uma visão mais ampla de mundo, e pensam nas causas e consequências de suas ações em termos globais.

Inquilinos

O que o relatório chama de tendência dos “Inquilinos” nada mais é do que o hábito de preferir alugar e assinar algo, do que ter esse algo. O novo consumidor está rejeitando a ideia de posse e ostentação, priorizando um estilo de vida mais livre, baseado em vivenciar experiências. Essa é uma grande tendência entre os hábitos do consumidor 2018, e deverá ter enorme impacto sobre a indústria de bens e serviços.

Reivindicação como cultura

Cada vez mais, o consumidor quer ser ouvido e manifestar-se sobre quase tudo. Produtos e serviços não fugirão dessa tendência. O “ativismo hashtag”, a viralização de mensagens nas redes sociais e as petições online, especialmente em um ano de eleições, como o de 2018 no Brasil, estarão ainda mais enraizados em nossa cultura, tornando-se um comportamento que afetará, direta e indiretamente, as marcas e os hábitos de seus consumidores.

A diferença está no meu DNA

Outro comportamento inerente à nova geração de consumidores é a necessidade de se sentirem especiais, diferentes da multidão. Em um nível avançado, essa necessidade já começa a passar pela investigação da própria genética, inicialmente para que se alcance uma maior personalização em diagnósticos e tratamentos de saúde. Porém, isso deve evoluir para apoiar as decisões de consumo de outros produtos e serviços. Além da saúde, segmentos como os de alimentação e estética serão impactados com essa tendência em 2018.

Empreendedores adaptativos

O comportamento empreendedor, mas com uma postura mais flexível e adaptável, é uma forte tendência para 2018. Isso já vem sendo observado, e deverá desafiar ainda mais as empresas, que terão que conquistar todos que deixaram (e deixarão) de lado uma rotina de trabalho regrada, das 8h às 17h, que se arriscam mais e colocam a liberdade como prioridade. Essa tendência afetará ainda mais a cadeia de consumo.

Consumidores detetives

Com os acontecimentos políticos dos últimos 2 anos, aliados a uma desconfiança generalizada sobre as reais motivações de governos e grandes corporações, parte dos consumidores de hoje estará, em 2018, pesquisando ainda mais sobre os produtos que consomem, a forma que são produzidos, distribuídos etc. Por isso, toda retórica vazia e a incoerência entre discurso e atitude dificilmente enganarão o consumidor 2018.

Co-habitação (Co-living)

Outra tendência de consumo em 2018 é a da habitação compartilhada, a co-habitação ou co-living. Mais forte entre os millennials, a co-habitação também cresce entre os consumidores acima de 65 anos. Muitas vezes, essa escolha pelo co-living tem a ver com interesses e valores em comum, de pessoas que enxergaram na economia compartilhada uma forma de viver melhor.

Designers digitais

Como já citado na tendência sobre investigar o próprio DNA, a necessidade de personalização será ainda mais forte em 2018. Consumidores exercerão o papel de designers digitais, criadores que participam diretamente do processo de concepção visual e da produção daquilo que consomem.

Os sobreviventes

Após uma grande recessão mundial 10 anos atrás, a economia mundial experimenta uma melhora. Porém, a disparidade entre ricos e pobres vem se aprofundando. Um grande desafio para empresas neste 2018 será encontrar mecanismos para trazer as camadas que mais sofrem com a austeridade, que mais precisam controlar gastos, de volta ao consumo.

Vejo do meu quarto

Uma das tendências de consumo que estarão fortalecidas em 2018 é a da possibilidade de ver e experimentar um produto ou serviço sem sair de casa. Tecnologias como a realidade aumentada e o avanço nas funcionalidades de smartphones permitirão uma pré-experiência de consumo ainda mais completa, antes da aquisição em si.

A New Way possui tecnologias que evoluem o relacionamento entre empresas e clientes, ajudam a acompanhar as tendências de consumo em 2018, e ainda melhoram significativamente os indicadores de sucesso do seu negócio.

Descubra como fazemos isso.

Fonte: https://blog.euromonitor.com/

Publicado em: 01/02/2018

Newsletter
Receba novidades!